BH DICAS

Circuito Urbano de Arte começou em BH

  • por em 22 de setembro de 2020

Começa hoje o CURA que está na 5 edição. São mais 4 empenas no hipercentro da cidade, bate bapo online, aulas e instalaçoes.

Foto: bhdicas

Se você ama Belo Horizonte assim que nem eu, já reparou nos painéis maravilhosos do Cura, na Rua Sapucaí. Dá pra ver o resultado do festival de intervenções urbanas que matam qualquer Belorizontino de orgulho. É o primeiro, e até então único, Mirante de Arte Urbana do mundo.

Serão ao todo, 18 obras de arte em fachadas e empenas, sendo 14 na região do hipercentro da capital mineira e quatro na região da Lagoinha, formando, assim, a maior coleção de arte mural em grande escala já feita por um único festival brasileiro. Uhuuuu, que lindo Belo Horizonte.

O Circuito está na 5 edição, defende a resistência através da arte e cuidado com as pessoas, afetos e natureza , trazendo artistas de diversas regiões e por isso com perspectivas estéticas diversas. Para esse ano, serão pintadas 04 empenas no hipercentro da cidade, que também receberá outras intervenções artísticas. Por conta da pandemia, o restante da programação acontece exclusivamente online.

Diego Mouro (São Bernardo do Campo/ SP) – o selecionado da convocatória promovida pelo festival – Lídia Viber (Belo Horizonte/MG), Robinho Santana (Diadema/SP) e Daiara Tukano (São Paulo/SP) são os artistas responsáveis pelas artes nas empenas dos edifícios Almeida, Cartacho, Itamaraty e Levy respectivamente. Todas visíveis da rua Sapucaí, bairro Floresta, consolidando o Mirante CURA na rua Sapucaí com 14 murais gigantes.

Foto: BH Dicas

Bandeiras produzidas (foto capa) pelos artistas Denilson Baniwa (Bercelos/AM), Randolpho Lamonier (Contagem/MG), Célia Xakriabá (São João das Missões/MG), Ventura Profana (Salvador/BA) e Cólera e Alegria (diversos/Brasil) serão instaladas no antigo prédio da Faculdade de Engenharia da UFMG. A obra também será vista do Mirante CURA.

Foto: inflável de Jaider Esbell (Normandia/RR)

Já os arcos do icônico Viaduto Santa Tereza recebem uma escultura inflável de Jaider Esbell (Normandia/RR).

Arissana Pataxó, de Coroa Vermelha – Cabrália, e Domitila de Paulo, de BH. Elas, juntamente com as criadoras do festival – Janaína Macruz, Juliana Flores e Priscila Amoni – são os nomes por trás de tudo. O Festival conta com intervenções urbanas, galeria virtual, aulões e bate papos. Tudo Gratuito e acessível.

Online – www.youtube.com/CURACircuitoUrbanodeArte

Entre a programação está Preta Rara, rapper e arte-educadora, importante nome do feminismo negro brasileiro e Ailton Krenak, uma das maiores lideranças do movimento indígena brasileiro.

Confira a programação completa aqui e não deixe de passear pela Galeria Virtual que vai funcionar no site www.cura.art durante o período do festival com mais de 30 artistas de todo o Brasil, que terão suas obras expostas e disponíveis para compra.

É entre os dias 22 de setembro e 04 de outubro em Belo Horizonte.

Bjs

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.