BH DICAS

Primeiro Festival de Cinema e Comida de Minas Gerais

  • por em 10 de maio de 2021

Matula Film Festival exibirá 12 obras cinematográficas, oficinas, palestras e mesas de debate, tudo online e gratuito.

BH

Credito da foto : Valwander Fotografias

Matula significa merenda embalada para viagem. Comida embrulhada em afeto, em histórias, saberes e agora, em cultura cinematográfica. No primeiro Festival de cinema e comida de Minas Gerais, serão exibidas 12 películas, entre curtas e longas-metragens, com espaço para filmes e documentários nacionais e estrangeiros. Das produções internacionais, três são inéditas no Brasil, e um curta mineiro fará sua pré-estreia.

Além das obras cinematográficas, haverá espaço para oficinas, palestras e mesas de debate, com as participações de cozinheiros profissionais, jornalistas e especialistas em gastronomia, que irão colocar a mão na massa e conversar a respeito dos temas abordados.

A oportunidade é boa para ver boas produções, valorizar nossa cultura e saborear comidinhas combinadas que o festival oferece como sugestão.

O fazer cinema e o cozinhar são linguagens universais, sendo assim, durante os quatro dias de evento, o Matula Film Festival será responsável por compartilhar com a gente as mais distintas sensações que um bom filme ou documentário sobre comida pode nos despertar.

Separei aqui minhas dicas, mas você pode conferir a programação completa aqui. Vai do dia 13 a 16 de maio.

Ciclos de debates e de palestras

No dia 15 de maio:

“Comida em Narrativas Ficcionais” e “Documentar uma Tradição” são os assuntos abordados no sábado e no domingo, respectivamente, com as participações de André Cantuária (“Açaí”), no dia 15, e de Simone Matos e Helvécio Ratton (“O Mineiro e o Queijo”), além de Rejane Zilles (“Walachai”), no último dia do evento.

“Comida como Cultura”, “Comida como Mídia”, “Comida como Cinema” e “Comida como Tradição” são os temas das palestras, que foram pensadas como um ciclo educativo e didático acerca da gastronomia e de suas expressões culturais e estéticas.

Os ciclos de palestras recebem nomes de peso, como a cozinheira e diretora do projeto CATA (Cultura Alimentar Tradicional Amazônica), Tainá Marajoara; a doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC SP, Helena Jacob; a cozinheira e apresentadora do programa de cozinha online Gastronomismo, Isadora Becker; e o premiado jornalista gastronômico e especialista em queijos artesanais mineiros, Eduardo Girão.

Comida
Foto: bala de caramelo com baru feita pela Chef Mariana Correa

Raízes Mineiras

No domingo, dia em que o festival se encerra, ocorre a mostra “Raízes Mineiras”, com duas exibições de curtas metragens: “Pão de Queijo da Romilda”, de Helvécio Ratton, e “A Dona do Tacho”, de Marcelo Wanderley, que faz sua pré-estreia justamente no Festival Matula, contando a história de dona Nelsa Trombino, um ícone da gastronomia mineira, conhecida por seu trabalho à frente do premiado restaurante Xapuri. Mostra Raízes Mineiras A Dona do Tacho | Marcelo Wanderley, MG/Brasil, 2021, 23′.

O título de “Cidade Criativa da Gastronomia”, que Belo Horizonte recebeu da Unesco, em 2019, tem um pouquinho das mãos abençoadas de dona Nelsa e de várias outras cozinheiras e cozinheiros da nossa terra.

Programação de 16/05 (domingo)

15 horas: Ciclo de Palestra – “Comida como Tradição” / palestrante convidado: Eduardo Girão; mediador: Daniel “Nenel” Neto.

17 horas: Debate Temático – “Documentar uma Tradição”, com Simone Matos e Helvécio Ratton (“O Mineiro e o Queijo”) e Rejane Zilles (“Walachai”).

18 horas: Mostra Raízes Mineiras: *“A Dona do Tacho” | Marcelo Wanderley, MG/Brasil, 2021, 23′ / “Pão de Queijo da Romilda” | Helvécio Ratton, MG/Brasil, 2011, 15′. *Pré-Estreia.

20 horas: Sessão 7 (encerramento) – Longa: “O Mineiro e o Queijo” | Helvécio Ratton, MG/Brasil, 2011, 52′.

LONGAS

O Mineiro e o Queijo | Helvécio Ratton, MG/Brasil, 2011, 52′. Sinopse: Documentário político e poético sobre o queijo minas artesanal, patrimônio cultural do Brasil, mas proibido de circular fora de Minas Gerais. Filmado nas regiões mineiras do Serro, Canastra e Alto Paranaíba. Data de exibição: 16/05 | 20H – Classificação: livre.

Pão de Queijo da Romilda | Helvécio Ratton, MG/Brasil, 2011, 15.’ Sinopse: A produtora de queijo Canastra e personagem do filme “O Mineiro e o Queijo”, D. Romilda, dá a receita do melhor pão de queijo do mundo! Data de exibição: 16/05 | 18H – Classificação: livre.

Comida como Tradição| Data: 16/05/2021.| Horário: 15 horas. | Palestrante convidado: Eduardo Girão (MG). | Mediador: Daniel Neto, Nenel (MG).

Documentar uma Tradição Data: 16/05/2021 Horário: 17 horas. Debatedores: Simone Mattos, Helvécio Ratton (“O Mineiro e o Queijo”) e Rejane Zilles (“Walachai”). Mediação: Guilherme Lobão.

A programação é inteiramente gratuita e, em virtude da pandemia do novo coronavírus, será transmitida no formato online, pelo site oficial do festival: www.matulafilmfestival.com.br. É de 13 a 16 de maio e o Festival Matula é organizado pela Le Petit, produtora belo-horizontina responsável pela tradicional mostra de cinema Curta Circuito.

Aproveite! Um beijo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.