BH DICAS

Irmãos refugiados sírios servem comida de primeira em acanhada lanchonete no Santa Efigênia

  • por em 17 de janeiro de 2017

A marca da comunidade árabe está fortemente inserida na capital mineira desde o início do século passado, com destaque para a colônia sírio-libanesa, que ajudou a moldar o comércio da cidade. Para se ter uma ideia, na década de 1920, Minas Gerais era o segundo estado brasileiro em número de libaneses e descendentes, atrás somente de São Paulo.

Desde então, os hábitos alimentares dos mineiros nunca mais foram os mesmos. Quibes, esfirras, berinjelas em conserva e homus tahine (pasta de grão-de-bico) sempre foram produtos fáceis de encontrar e adorados pelos belo-horizontinos.

Um século depois, mais sírios chegaram, fugindo da guerra que assola o país árabe há seis anos. Mais de 100 foram acolhidos na Capital das Alterosas, e muitos já trabalham no comércio.

Dois deles são os simpáticos irmãos Abboud e Ahed, de 25 e 23 anos, respectivamente. Em maio de 2014 eles chegaram, vindos de Fairozah, cidade natal de ambos, localizada nas imediações de Homs, o terceiro maior município da Síria. “Fomos muito bem recebidos por aqui”, afirma Abboud (foto), que era estudante de economia antes de vir para o Brasil. Ahed estudava informática.

Abboud

Abboud

Após trabalharem em casas do ramo alimentício, como lanchonetes e padarias, eles abriram, em outubro último, o próprio negócio, batizado de Arábica e localizado num ponto da Avenida Brasil, no bairro Santa Efigênia.

Da vitrine da acanhada lanchonete saem caprichados quibes e esfirras, a R$5 cada, além de salgados tipicamente brasileiros, como empada de frango (R$5 cada) e tortinha de frango com requeijão (R$6,50 a unidade).

Mas é o almoço que rouba a cena na Arábica. Por justíssimos R$15 é possível comer um bem servido prato composto por ótimo arroz com lentilha e cebola frita, duas suculentas kaftas, preparadas em chapa somente após o pedido, dois acompanhamentos e uma saladinha de alface, tomate e cenoura crua ralada.

Os acompanhamentos podem ser pasta de alho, uma babaganuche (pasta de berinjela defumada) de personalidade, um homus tahine com toque acentuado de limão, uma belíssima coalhada seca, azedinha e deliciosa, um perfumado tabule ou ainda uma salada de berinjela. Todos podem ser levados pra casa a R$5 cada 100 gramas.

arabica bh dicas baixa gastronomia

Existe também a opção do prato com uma kafta e um acompanhamento, que sai por R$12. Os pães sírios feitos na casa são a base dos sanduíches, que podem ser recheados com as pastas e acompanhamentos disponíveis.

Produtos industrializados de origem árabe, como lentilhas, azeitonas e favas, também podem ser levados para casa. Tudo ao som de música árabe, que sai das pequenas caixas de som da lanchonete.  

bh dicas baixa gastronomia

Belo Horizonte ganhou uma excelente opção para os fãs de comida árabe e também para os fanáticos por prato feito. Mas desta vez o velho e bom PF tem sotaque sírio.

Onde é: A Arábica Lanchonete – Av. Brasil, 738 no Santa Efigênia. Aceita cartões de crédito e de débito. Quando ir: funciona de segunda a sexta-feira, de 8h as 19h. Aos sábados abre às 8 da manhã e fecha ao meio-dia. Tel: (31) 9 7591-5919.

nenel-bh-dicas01

Acompanhe o Nenel – Baixa Gastronomia nas redes: para o instagram #cliqueaqui | para Tv Baixa Gastronomia #cliqueaqui .

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
SILVANO FEBRONI

vc fez A PROPAGANDA, e nada do endereço, somente citando a av brasil numero
no mais obrigado por esta dica, pois comida arabe e simplesmente fantastica

Valéria

Av. Brasil 738 Santa Efigênia.

Ligia Lemieszek

Mas está ali: av. Brasil, 738

Daniele

Av. Brasil, 738

Milena

Sim, a comida é boa, mas quando fui da primeira vez (por volta de 13h) a kafta já havia acabado…da segunda vez, esperei meia hora pelo meu prato e ainda por cima veio sem cebola frita…o dono não falou nada, e quando questionado por um cliente do meu lado, ele disse: pois é, acabou…
Se eles servem uma única opção de almoço por dia, como pode demorar tanto e como eles não planejam a quantidade de comida para que não falte?
Além do mais, o lugar é super apertado e não tem lugares suficientes…ah, e o dono, ao invés de servir a sua opção de pasta, fica tirando dúvidas dos clientes que chegam enquanto sua comida fica esfriando em cima do balcão…
O prato de R$12,00 vem com uma kafta minúscula, que não é suficiente pro tanto de arroz…
Sinceramente, não tive vontade de voltar depois dessa experiência…

Ju

Chata

André

Por R$12, seria ótimo mesmo sem a kafta. E vá mais cedo. Casas lotadas, principalmente as pequenas, nunca funcionam bem.

Wallace armando

hahaha,Boa.

Teresita Panadés

Milena, talvez isso esteja acontecendo agora no início até eles terem a noção de quantos clientes terão por dia. Com a prática, acredito que tudo pode melhorar. Acho que não é hora de fazer propaganda contra. Talvez uma crítica-sugestão feita com respeito e educação, ajudaria e não faria propaganda contra.

Wallace armando

melhor ainda…Rsrsrs

Ronaldo Silva

Falta para finalizar a matéria, o telefone ou endereço da Aráb

Eduardo

Num ponto da Av. Brasil ?????????
Av. Brasil que número?????

Carmem Resende

Achei tudo delícia, mas senti falta do quibe cru pra trazer pra casa !!!!

Luciana

Nossa, quero ir!

Diego Falabella

Ótima dica, vou conferir!

Gisele

meus amigos Ghass Ka e Joseph Gerger irão gostar

angela

Já fui logo que abriu, sou muito fã dessa comida. muito saborosa e saudável. O atendimento foi bom.

Helen

Excelente!!!! Comida de primeira!!! Os meninos são show e batalhadores!!!!! Amei a matéria!!!!! Eles merecem!!!! Vou lá sempre!!!!!! Super indico!!!!!

Vagner José de Almeida

Se estivesse em BH, certamente frequentaria esse local, ajudaria os rapazes com eventuais dicas e os prepararia para enfrentar gente desagradável e que não tem o mínimo de sensibilidade para reconhecer o esforço que esses dois irmãos fizeram para chegar até BH, fazer comida boa, a bom preço e ainda tem gente que faz campanha contra! Espero que a maioria da clientela possa reconhecer esforço e qualidade da dupla para que eles possam se sentir mais à vontade e prestigiados deste outro lado do mundo e sem guerra! Sejam sempre bem-vindos irmãos! Se gente metida a exigente lhes aborrecerem, venha para São Paulo, que sempre cabe mais gente talentosa como vocês!

Marcus

No sábado está fechando às 14h, e não às 12h. Estive lá hoje e gostei muito da comida. Realmente parece que o tamanho da kafta diminuiu, em comparação com a foto na reportagem acima. As pastas, excelentes, principalmente a de alho. Poderiam colocar mais mesas e cadeiras no passeio. Volto com certeza.

Maria Virginia Pita

Conheço o Abboud há 2 anos,assim que chegou e trabalhava numa lanchonete no Buritis.Aprendeu rapidamente o português e conversávamos sobre a vinda dele e saudades dos pais que ficaram na Siria no meio da guerra.
Rapaz trabalhador,sério e educado.Estou muito feliz com essa nova etapa.Ele e o irmão merecem essa vitória!!Felicidades ao amigo!!!Eu e meus filhos estamos prestigiando sempre as delícias que faz!!!
Maria Virginia Pita

Danyelle

Estive lá hoje.
Que delícia de tempero!! Muito bom mesmo. E eles mesmo com a correria tentam ser cordiais com todos!
Indico muito…
Obs.: Eles tem que começar a planejar um local maior… porque o volume de pessoas está aumentando.

Eduardo Machado

Ali no Sion (rua Grão Mogol, 918) funciona desde novembro mais uma opção para os amantes dá cozinha Libanesa. Os irmãos Kleib, Daniel e Lucas, comandam o NIHA EL CHOUF.
Vale conferir

DIRCEU PASSOS JUNIOR

Eu li sua dica e fui experimentar. Fui em uma segunda em horário de almoço. O local é muito bom apesar de pequeno. os produtos aparentam apetitosos e almocei a kafta com arroz com lentilhas, tabule, coalhada e salada. Não demorei a ser atendido. A comida é excelente. São muito simpáticos. Com certeza voltarei mais vezes. Obrigado pela ótima dica.

AngelAngélica

Lembro deles no Vila Árabe do Buritis. São muito atenciosos.

ana

ei, adoro comida arabe. quais dias e horarios?
entrega em casa?

Daisymar Tocafundo

Conheço Abboud , desde que trabalhava na Via Arabe ,do Buritis , ele quem cuidava de tudo . Muito caprichoso e atencioso , moro
no Buritis , mas preciso prestigiar meu amigo . Ele merece e muito Parabéns !!

Jane da costa Corrêa

Tenho uma loja em contagem quero conhecer para quem sabe eles abrirem uma filial

Adriana Maria

E tem doces na loja? Sou louca por doces árabes.

[…] novidades mais interessantes da cena gastronômica popular em Belo Horizonte vêm de fora. Uma é a Arábica Lanchonete, aberta no final do ano passado por dois irmãos sírios que fugiram da guerra que assola o país […]

Marina

Fui e adorei a comida. O atendimento é muito bom. As esfirras são deliciosas, vale a pena experimentar. Só recomendo ir cedo porque quando fui a cebola frita e algumas pastas já haviam acabado. Mas com certeza irei voltar novamente.

Mirian

Fui hoje e gostei bastante! Indico!

João

Acho que temos que ser críticos , o atendimento é bom , a comida insossa. Me desculpe mas pra ficar bom tem que melhorar muito .

Gisele

Gente, vai também no Sítio Sírio, que fica na Paraíba. Comida boa e o sírio é bem cordial. Sempre tenta agradar, levando para a mesa comida feita na hora. É uma delícia. Provei de tudo.

Rondinelly

Fui hoje (30/01) super vazio, acho que foi o primeiro almoço servido no dia, super bem atendido, o proprietario Abboud conversou comigo quase todo o tempo que estive lá, excelente comida pelo preço R$ 15,00, justo, não sei como fica em horario de pico mas foi uma boa surpresa, recomendo!!!

Ana Maria

Adorei, uma delícia o sanduíche de kafta, os kibes e esfiha.