BH DICAS

A polêmica sobre os lugares que não aceitam crianças

  • por em 22 de julho de 2019

Ei,

Tudo bem? Espero que sim, porque o assunto que vamos conversar hoje é bem polêmico. Domingo é dia de “Conversa Fiada” nos stories do BH Dicas e ontem, surgiu uma demanda diferente.

De lá pra cá, recebi inúmeras mensagens, com opiniões divididas. Em Belo Horizonte, me parece que não tem, mas pesquisando aqui agora em outras cidades, achei até um pouco cruel e radical a experiência. Nossa gente, o ser humano tá muitcho loco. Credo.

O que me surpreende na questão, é que a demanda de lugares que não permitem crianças, veio de alguém que tem filhos. E não é só. Muitas mães que mandaram mensagens ao ler a questão colocada, se identificaram, expondo esse desejo. E aí?

Colocar um ser humano no mundo é uma responsabilidade que todo mundo deveria pensar e repensar se deve, se quer, se tem condições. Eu ainda não decidi e não tenho filhos. Acho que por isso, não me sinto muito apta para opinar com clareza. Já peço desculpas antecipadas, caso fale alguma besteira. No entanto, acho rica toda discussão saudável.

Eu entendo muito os dois lados e fico até meio confusa. De um, as pessoas que não querem ter filhos, ou as mães que estão buscando um momento de tranquilidade, em um ambiente sem crianças.

Quero só tomar um café tranquila com uma amiga, sem crianças por perto.

Isso já é bem estabelecido, por exemplo em hotéis. Entendo. Ninguém precisa arcar com as escolhas do outro. Um casal que está de férias, lua de mel, sei lá… que optou por não ter um filho, pode escolher lugares assim. Em outras cidades essa discussão está mais avançada e existem estabelecimentos que realmente restringem o acesso delas.

Foto: eu pequenininha

Do outro, os pais que se sentem desrespeitados e impedidos de frequentarem estabelecimentos com seus filhos. “Onde não cabe meu filho, não me cabe“. Já ouvi falar também que é preciso uma aldeia para criar uma criança e que a responsabilidade está no coletivo. Mas isso é assunto para um próximo post, né?

Sabe o que estou aprendendo com esse debate todo? Mas uma vez a falta de empatia e o radicalismo em questões como essa. Não diria que é um tema bobo, porque não é. Hoje em dia as pessoas estão tendo cada vez menos filhos e acho que esse assunto ainda vai render demais. Mas, será que não daria para agradar ambas as partes? A cidade é tão diversa. Tão grande. Cabe todo mundo.

Sempre tem alguns lugares que os pais não levam as crianças. E eu não estou dizendo apenas de motel e boates, como muitos disseram. Existem bares, botecos, restaurantes, cafés que não estão preparados para receber famílias, o que de alguma forma, passam uma mensagem subliminar, né?

Vivemos em sociedade e se essa demanda existe é porque tem aí uma parcela grande de pessoas que não estão satisfeitas com o cenário atual. Talvez, restringir o acesso de crianças em algum estabelecimento não seja o caminho, mas usar do bom senso para entender, qual o lugar mais adequado e trabalhar com limites, possa ser. Tem tanto lugar bom, gostoso, tantas opções para ir com filhos e sem filhos que dá para se respeitar e todo mundo ser feliz, né?

E você? Pensa o que?

Beijuuuus

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments