BH DICAS

TRAÍMOS o nosso filho?

  • por em 21 de abril de 2018

Foto: Soosh

por Bruno Santiago.

Muita gente vai achar um exagero e uma parte entenderá. Mas, é algo que sentimos em ALGUNS momentos com relação ao Samuel. Calma, não fizemos nada de errado ou ficamos loucos.

Na quinta, por exemplo, eu e Tereza tivemos um evento a noite. Fora da nossa rotina de um dia útil. Saí do trabalho às 18h, passei no serviço dela e corremos para casa tomar um banho e trocar de roupa. No maior pique. O nosso Samuca estava na casa dos avós (mesmo prédio), onde ama ficar.

Foto: Soosh

Subimos direto para o nosso apartamento, corremos aqui e ali, escutamos a voz dele, separamos as roupas, corremos mais um pouco e o tempo passando. De repente, a ficha caiu! Um olhando para o outro e a dúvida no ar: “Vamos mesmo? E o Samuel?”. Um esperou o outro dizer “não” e aquela angústia sumir instantaneamente. Decidimos ir ao compromisso… 

Descemos para deixar algumas coisinhas dele e fomos. Eu nem queria me despedir e, por sorte ou azar, ele estava tomando banho. Fiquei pensando… o Samuca gosta quando chegamos e, se tivesse nos visto, imaginaria que iríamos pegá-lo para ir embora. “Mamãe Tetê chegou”, “Papai Pig chegou”.

Isso mesmo, além de papai “Bruno”, tem o Pig (Rs).  E, com isso, não sairíamos e o deixaríamos para trás. ROTINA é importante, mas gera dor em casos de desvios de rota. Em todos os envolvidos.

Para você entender, durante a semana, a noite é o momento que temos para ficar com ele. Era chegar em casa, pegar o baixinho, tomar banho, jantar, brincar, ler e assistir um pouco de desenho.  E dormir!  Nós três juntos. E tivemos que sair neste dia. Ficamos com uma dor no peito. Parecia que estávamos quebrando / traindo o nosso “pacto de amor e cuidado ” com ele. 

Mesmo sabendo que estava sendo envolvido com o amor da vovó, vovô, tia, tio e madrinha. A questão é ficar longe dele e não com quem ele iria ficar. Bem, este foi só um exemplo de casos em que sentimos assim. Por isso, consideramos a necessidade de controlar e não deixar isso virar uma paranóia.

AO MESMO TEMPO, SAIR É ABRIR MÃO DE FICAR COM ELE NO TEMPO QUE PODEMOS. A gente não sabe o dia de amanhã! As vezes, por motivos de trabalho ou situações da vida, poderemos nos separar por alguns dias ou momentos. Por isso, pensamos no agora! Não é fácil encontrar o equilíbrio! 

Para alguns, esta é situação boba – “Estou nem aí, saio mesmo e relaxo. Deixo meu filho!” Respeitamos. Talvez, nós é que precisamos melhorar! Somos pais e não somos perfeitos! 

A Comunidade Pai tem que fazer de tudo adverte: podem nos convidar para eventos noturnos, por favor! Como disse, precisamos de ajuda! rsrsrs

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Danilo

Também sinto isso, minha esposa e eu, tanto que saímos raríssimas vezes de casa. E quando saimos, a gente não consegue relaxar 100%, estamos o tempo todo com o pensamento nas crianças. Acho que não deveria ser assim, desde que tenhamos a certeza de tê-los deixado com quem os ama e cuidará muito bem deles. Mas é difícil relaxar, rs.

VANESSA

EU SOU ASSIM SEMPRE TE ENTENDO E TRABALHO EM PLANTOES HOSPITALARES E ME DOE PENSAR QUE NO DIA DA FOLGA FICAREI LONGE.PARABENS PELO PELA MATÉRIA.

VANESSA

EU SOU ASSIM SEMPRE TE ENTENDO E TRABALHO EM PLANTOES HOSPITALARES E ME DOE PENSAR QUE NO DIA DA FOLGA FICAREI LONGE.PARABENS PELA MATÉRIA.

Danilo

Também sinto isso, minha esposa e eu, tanto que saímos raríssimas vezes de casa. E quando saimos, a gente não consegue relaxar 100%, estamos o tempo todo com o pensamento nas crianças. Acho que não deveria ser assim, desde que tenhamos a certeza de tê-los deixado com quem os ama e cuidará muito bem deles. Mas é difícil relaxar, rs.

VANESSA

EU SOU ASSIM SEMPRE TE ENTENDO E TRABALHO EM PLANTOES HOSPITALARES E ME DOE PENSAR QUE NO DIA DA FOLGA FICAREI LONGE.PARABENS PELA MATÉRIA.

BHDICAS

Ei Vanessa!
Obrigada pelo comentário e por acompanhar. Imagino que deve ser duro essa rotina sim…
Vou passar seu elogio ao colunista!
Abraço!
Virginia

VANESSA

EU SOU ASSIM SEMPRE TE ENTENDO E TRABALHO EM PLANTOES HOSPITALARES E ME DOE PENSAR QUE NO DIA DA FOLGA FICAREI LONGE.PARABENS PELO PELA MATÉRIA.